Ir ao Início

Colocação na obra

Métodos para a Colocação de Janelas

A montagem das janelas em PVC na obra não difere substancialmente das janelas tradicionais. Se não existir contra- indicações, os caixilhos sem folhas devem colocar-se aprumados e niveladas, cunhadas na diagonal (contudo, não directamente nos cantos), deixando uma junta mínima que possibilite o isolamento perfeito e permitindo que a janela fique segura por si só.  Após o aprumo, nivelamento e encaixe, procede-se à fixação que pode ser de vários tipos:


Com grampos

Por norma são utilizados em vãos de obras em execução, não totalmente rematados. O sistema caracteriza-se pela utilização de peças metálicas rectangulares para facilitar a sua aderência à construção. Estes grampos podem ser fixados ao aro através de parafusos ou abraçadeiras. Há que assegurar que não sejam curtos e possam prender bem no trabalho a aplicar no gesso. A união dos grampos à construção pode ser realizada de duas maneiras:

 

  • Fazer na parede a fresagem vertical das faces que vão receber os grampos antes de alinhar, aprumar e nivelar a janela. Estas fresagens devem ter uma determida folga para permitir a penetração dos grampos, logo que a janela esteja na sua posição.

  • Reforçar a janela na sua posição definiva levantando posteriormente a alvenaria para fazer coincidir as juntas com os grampos.

Há que procurar deixar a mesma largura de junta nas uniões na parede e no dintel. Recomenda-se seguir a tabela acima caso seja empregue silicone como material de isolamento. Numa montagem com mocheta deve conservar-se um espaçomínimo de 10 mm entre a janela e a mocheta.


Com parafusos

Fixamos bem o caixilho directamente na alvenaria mediante parafuso com bucha expansora, ou mediante um parafuso especialmente concebido para ser introduzido na parede maciça. Este tipo de fixação é mais adequado quando a janela está alinhada com estes meios, pois não provoca danos na obra acabada pela expansão da bucha.

 

 Este tipo de montagem apresenta a dificuldade de fazer coincidir o furo previamente realizado com o que teremos que executar na parede.

 

Os pontos onde entram os parafusos devem estar bem calçados. Colocaremos o calço com a pressão necessária para que impeça o movimento do aro e sem que se produzam flexões ou empenamentos no caixilho.

O parafuso que fixa a moldura pode ser rematado de duas formas distintas. O parafuso pode manter-se visível na ranhura, ou atravessar o perfil em PVC até chegar ao reforço.

 


Mediante aros metálicos ou de madeira

Nivelamos, aprumamos e fixamos o aro à parede por meio dos grampos de fixação que levam incorporados (ver fixação por grampos). A fixação do caixilho ao aro é feita mediante parafusos, com atenção como no caso anterior, de que os pontos por onde estes vão passar estejam bem calçados. As secções das aros devem ter os seguintes limites:

  • Aros em madeira: Secção mínima de 35 mm x 35 mm.
  • Aros em aço: A espessura da chapa não deverá ser inferior a 1 mm. 
  • Aros em alumínio: A espessura não deverá ser inferior a 1,5 mm.

Para a fixação e remate do parafuso, proceder-se-á da mesma maneira como foi explicado no ponto anterior (ver fixação com parafusos). As principais vantagens deste sistema quanto aos pontos anteriores são:

  • Evita erros na execução dos vãos e facilita a sua medição, nivelamento, aprumo e remate, reduzindo assim os custos de montagem. 
  • Torna autônomo o trabalho entre ofícios (maçonaria-carpintaria), e acelera a execução da obra. 
  • Evita possíveis imperfeições ao nível da caixilharia ao executar a sua instalação como remate da obra. 
  • Os processos de instalação não precisam habitualmente de pré-furação do aro. 
  • O aro facilita a ruptura do ponto térmico entre as faces exterior e interior da parede.


Renovação

É um caso especial de colocação no qual se utiliza o caixilho da caixilharia antiga como aroda nova. Antes de proceder à montagem de renovação, deverá verificar se a fixação do caixilho antigo na parede é resistente, e o seu estado de conservação (ferro não oxidado, madeira não carcomida, etc.)

 

Posteriormente, o caixilho antigo será complementado ou reduzido onde for preciso, assegurando que a base horizontal fique nivelada. Logo que isto esteja realizado, deve proceder-se da forma indicada na instalação com aro.

 

Mesma largura de junta nas uniões na parede e no dintel. Recomenda-se seguir a tabela acima caso seja empregue silicone como material de isolamento. Numa montagem com mocheta deve conservar-se um espaçomínimo de 10 mm entre a janela e a mocheta.

 

1. Com parafusos: Fixamos bem o caixilho directamente na alvenaria mediante parafuso com bucha expansora, ou mediante um parafuso especialmente concebido para ser introduzido na parede maciça. Este tipo de fixação é mais adequado quando a janela está alinhada com estes meios, pois não provoca danos na obra acabada pela expansão da bucha.

 

Este tipo de montagem apresenta a dificuldade de fazer coincidir o furo previamente realizado com o que teremos que executar na parede. Os pontos onde entram os parafusos devem estar bem calçados. Colocaremos o calço com a pressão necessária para que impeça o movimento do aro e sem que se produzam flexões ou empenamentos no caixilho. O parafuso que fixa a moldura pode ser rematado de duas formas distintas. O parafuso pode manter-se visível na ranhura, ou atravessar o perfil em PVC até chegar ao reforço.

 

2. Mediante aros metálicos ou de madeira: Nivelamos, aprumamos e fixamos o aro à parede por meio dos grampos de fixação que levam incorporados (ver fixação por grampos). A fixação do caixilho ao aro é feita mediante parafusos, com atenção como no caso anterior, de que os pontos por onde estes vão passar estejam bem calçados.  As secções das aros devem ter os seguintes limites:

  • Aros em madeira. Secção mínima de 35 mm x 35 mm. 
  • Aros em aço. A espessura da chapa não deverá ser inferior a 1 mm. 
  • Aros em alumínio. A espessura não deverá ser inferior a 1,5 mm.
  • Para a fixação e remate do parafuso, proceder-se-á da mesma maneira como foi explicado no ponto anterior (ver fixação com parafusos). As principais vantagens deste sistema quanto aos pontos anteriores são:
    • Evita erros na execução dos vãos e facilita a sua medição, nivelamento, aprumo e remate, reduzindo assim os custos de montagem.
    • Torna autônomo o trabalho entre ofícios (maçonaria-carpintaria), e acelera a execução da obra. 
    • Evita possíveis imperfeições ao nível da caixilharia ao executar a sua instalação como remate da obra. 
    • Os processos de instalação não precisam habitualmente de pré-furação do aro.
    • O aro facilita a ruptura do ponto térmico entre as faces exterior e interior da parede.

3. Renovação: É um caso especial de colocação no qual se utiliza o caixilho da caixilharia antiga como aroda nova. Antes de proceder à montagem de renovação, deverá verificar se a fixação do caixilho antigo na parede é resistente, e o seu estado de conservação (ferro não oxidado, madeira não carcomida, etc.)

 

Posteriormente, o caixilho antigo será complementado ou reduzido onde for preciso, assegurando que a base horizontal fique nivelada. Logo que isto esteja realizado, deve proceder-se da forma indicada na instalação com aro.

 



Logo de la certificación AENOR de Empresa Registrada
Logo de la certificación AENOR de Gestión Ambiental